fbpx

Blog Openk

Provedora de soluções de vendas e gestão

  1. Home
  2. • blog

06/11/2020
Comentários

mulher de costas encarando quadro negro com gráfico crescente desenhado e símbolos de dinheiro sobre cada coluna

Quando chega a Black Friday, o consumidor só pensa em uma coisa: preço baixo. Outros fatores até podem influenciar a decisão de compra, mas as promoções são mesmo as grandes vedetes da temporada, o que torna a precificação de produtos a etapa mais importante nos preparativos para o evento.

Mesmo com uma experiência de compra mediana, o site que oferecer preços baixos certamente irá vender, não tem segredo. Mas, se para o consumidor essa é uma decisão simples, a coisa se complica quando chega no lojista.

Cada mercadoria tem seu custo e dar descontos a esmo, sem levar em consideração o impacto deles no seu orçamento, pode acabar rendendo mais prejuízos do que deixar de aderir à Black Friday.

Para não correr esse risco, é importante dar uma atenção especial à precificação de produtos, técnica que leva em consideração a estratégia da sua empresa em diferentes momentos, custos operacionais, sustentabilidade, crescimento e investimentos futuros.

Continue a leitura e veja como aplicá-la durante a Black Friday!

 mãos de mulher segurando caneta sobre planilha de números e digitando na calculadora

O segredo por trás dos grandes descontos

A Black Friday é conhecida por seus descontos gigantes, que podem chegar a mais de 70%. Pode ser difícil enxergar o que uma empresa ganha com o evento, já que até quem é leigo sabe que a conta dificilmente fecha com uma porcentagem de descontos tão alta assim.

Embutido em todo preço final de mercadoria está a margem de lucro, valor que a empresa recebe que excede os custos de venda. O caminho mais lógico é pensar que as organizações abrem mão dela durante a Black Friday, mas uma manobra como essa tornaria o evento bem menos interessante para os lojistas.

O pulo do gato, portanto, está na parceria que grandes varejistas fazem com a indústria e seus fornecedores, que também vendem mais barato nessa época do ano ou então criam soluções de pagamento mais flexíveis, como prazo estendido sem custos adicionais.

Tudo isso reduz consideravelmente o capital necessário para que as lojas consigam dar bons descontos sem perder dinheiro na Black Friday, mas infelizmente não é uma alternativa acessível para boa parte dos pequenos negócios. Sem esse apoio, muitos micro e pequenos empresários tiram dinheiro do próprio bolso para viabilizar os descontos ou então desistem de participar do evento para não correr riscos.

Se esse foi o caso da sua loja nos últimos anos, saiba que é possível oferecer descontos atrativos na Black Friday sem prejuízo e até com uma margem de lucro. O segredo está na precificação de produtos, um cálculo que vai te ajudar a entender seus custos de maneira precisa e apresentar oportunidades de investimentos certeiros.mulher de costas encarando quadro negro com gráfico crescente desenhado e símbolos de dinheiro sobre cada coluna

Vamos combinar que abrir mão completamente da sua margem de lucros não é uma opção, certo? Pelo contrário: em um período de crise e instabilidade como o atual, a Black Friday deve ser usada como oportunidade para ampliar os lucros e dar fôlego para chegar em 2021 com as contas no azul.

Como já adiantamos nos tópicos anteriores, para aumentar a margem de lucro é preciso comprar mais barato ou negociar prazos mais longos com os fornecedores. A primeira opção é mais difícil, já que atacadistas e distribuidores não costumam oferecer flexibilidade em relação à precificação dos produtos. Sobra, então, a chance de negociar o prazo.

Quem puder pagar em janeiro ou fevereiro as compras feitas em novembro conseguirá aplicar uma margem de lucros maior na Black Friday e ainda ganha um boost junto com o Natal para quitar o pagamento. Com esse empurrão, é só usar a precificação de produtos para encontrar a lucratividade certa e chegar ao preço final que será apresentado aos consumidores.

Calculando a margem de lucro

O objetivo deste texto não é explicar detalhadamente como funcionam os cálculos de precificação de produtos. Acreditamos que, mais importante do que ter em mãos a fórmula correta, é saber aplicá-la adequadamente e entender como funcionam suas variáveis, para que você possa pensar estratégias para chegar nos melhores valores para cada uma delas.

O ponto de partida fundamental na precificação de produtos é o mark-up, índice que contabiliza todos os seus custos ao levar um produto ou serviço ao cliente, associado com a margem de lucro. Com ele, você descobre qual o valor mínimo que cada produto deve ter para compensar a sua operação.

Para fazer o cálculo, portanto, saber exatamente quais são suas despesas – tanto as fixas (aluguel, folha de pagamento etc) quanto as variáveis (que mudam de acordo com o número de vendas, como a comissão dos vendedores).Conhecendo todos esses valores é possível ter um controle maior na hora de fazer a precificação de produtos.

Para conhecer a forma completa da precificação de produtos e como aplicá-la, confira o artigo do Amplia Vendas!

Escolhendo o mix de produtos certo

carrinho de compras em corredor de supermercado

Tudo bem que lá na introdução nós dissemos que preço é imbatível no que diz respeito à decisão de compra do consumidor, mas não podemos deixar de considerar que, antes da precificação de produtos, é preciso chamar a atenção do público com o mix de certo, adequado ao perfil de cada loja.

Se você disponibiliza suas mercadorias em um marketplace, é importante entender se aquela seleção de produtos faz sentido ou tem chances de se destacar dentro daquele espaço. Quanto mais concorrência dentro de um mercado, mais você terá que trabalhar na precificação dos produtos para que os descontos impulsionem a sua marca.

O mesmo vale no caso oposto, quando não há público suficiente para o mix que você oferece. Mesmo comprando com uma certa margem de segurança, você inevitavelmente vai cair no prejuízo se ninguém quiser comprar.

A saída é observar o mercado e, principalmente, estar em contato com outros lojistas e representantes dos marketplaces que são seus parceiros. O momento de fazer isso é agora, semanas antes da Black Friday, para que você saiba exatamente o que cada plataforma está planejando para garantir um mix adequado até o dia 27!

Ainda tem dúvidas ? Então confira nosso checklist da Black Friday, com tudo que você precisa preparar para o evento. Temos dicas de precificação de produtos, divulgação e muito mais!

 


Comentários

Deixa seu Comentário