fbpx

Blog Openk

Provedora de soluções de vendas e gestão

  1. Home
  2. • blog

15/10/2020
Comentários

logomarca do Pix na frente de foto de pessoa segurando cartão de crédito próximo do notebook

É difícil encontrar por aí alguém que, nas últimas semanas, não tenha se perguntado o que é o Pix. Inclusive, é provável que você tenha chegado neste texto depois de fazer a mesma pergunta para o Google, certo?

Instituições financeiras do país todo já estão preparando a implementação desse novo sistema de pagamentos que promete mudar a forma como fazemos transações financeiras à distância, podendo até inutilizar o famoso boleto bancário. Para quem trabalha com e-commerce, saber o que é o Pix e como ele funciona vai revolucionar a dinâmica das suas vendas.

A plataforma foi liberada no dia 05 de outubro para que interessados realizassem um pré-cadastro, e o serviço estará disponível em todo país a partir do dia 16 de novembro.

Se você ainda não sabe o que é o Pix, continue a leitura e veja como incorporar o serviço na sua loja virtual!

mão segurando smartphone com logomarca do Pix na tela

O que é o Pix?

Pix é o nome da nova solução de pagamentos que está chegando no Brasil através do Banco Central. Seu grande diferencial é oferecer uma modalidade de transferência instantânea, na qual o dinheiro leva cerca de 10 segundos para chegar na conta do favorecido.

Diferente do DOC ou TED, que possuem taxas que podem pesar no bolso de quem usa o serviço com frequência, fazer pagamentos usando o Pix não tem custo nenhum para o usuário e o serviço não se limita ao horário comercial. Isso significa que será possível realizar pagamentos 24 horas por dia, sem custos adicionais.

Embora a operação seja gratuita para pessoas físicas, acredita-se que empresas deverão pagar alguma taxa pela utilização do serviço, cujo valor ainda não foi definido. Mas como já sabemos que as transações terão custo reduzido para os bancos, o esperado é que o novo sistema também seja mais barato em relação ao DOC ou TED.

Dá para resumir o que é o Pix em uma sentença bem simples: uma solução fácil, barata e segura que promete melhorar – e muito! – a experiência no e-commerce de modo geral.

Como o Pix vai afetar o e-commerce?

mãos de duas pessoas segurando smartphones realizando transação bancária

O check-out é um dos pontos mais sensíveis de qualquer plataforma de e-commerce. O tempo que se leva para fazer um pagamento e as ações necessárias para completar a transação são também a janela que leva muitos consumidores a desistir da compra, pelos mais diferentes motivos.

Uma pesquisa do Baymard Institute mostrou que três em cada quatro carrinhos de compras são abandonados durante as transações. Em consulta com esses consumidores, o instituto descobriu que 34% dos usuários desiste por não querer se cadastrar no site e 26% abandona a compra porque o processo de pagamento é lento ou muito complicado.

Ao todo, essas desistências podem representar para o comércio eletrônico uma perda de U$2 a 4 trilhões por ano, mas esse prejuízo está com os dias contados: basta seu cliente descobrir o que é o Pix!

Com esse novo método, qualquer pessoa que possua conta no banco pode realizar o pagamento online, sem necessidade de cartão de crédito ou débito. Antes isso só era possível com o boleto bancário, que demorava dias para completar a transação e acabava sendo responsável por muitas desistências, por ser um método muito mais trabalhoso e lento.

O sistema também dispensa aquela série de dados bancários, como agência, conta e CPF, que antes eram necessários para se realizar uma transferência. Quem souber o que é o Pix só precisa compartilhar sua chave-Pix, um único número vinculado aos dados de pagamento, opção ideal para quem vende nas redes sociais e busca uma alternativa para realizar suas vendas.

O PIX é confiável?

Mas não se preocupe: essas informações vão ser armazenadas em uma plataforma desenvolvida e operada pelo Banco Central, com toda a segurança necessária.

O sistema também funciona com QR Code, assim como as carteiras digitais e outros métodos sem contato que ganharam força na pandemia. Quem se interessar pelos seus produtos nas redes sociais, por exemplo, só precisa solicitar a chave-Pix da loja ou o QR Code do produto e pronto!

Também não vai mais ser necessário esperar até o próximo dia útil para receber seus pagamentos. Aquelas compras realizadas no fim de semana poderão ser pagas em tempo real, o que vai agilizar sua dinâmica com os fornecedores e também com as transportadoras.

Como se cadastrar no Pix

logomarca do Pix na frente de foto de pessoa segurando cartão de crédito próximo do notebook

Agora que você sabe o que é o Pix, já ficou mais do que claro que, antes mesmo de entrar oficialmente no mercado, o sistema já é uma alternativa obrigatória em todo e qualquer e-commerce do país. Depois do boom da pandemia, é hora do comércio eletrônico se democratizar de vez.

Uma loja que aceita o Pix como forma de pagamento vai ter muito mais oportunidades de vender do que quem não trabalha com o serviço. Diante de tanta praticidade, em vez de selecionar outro método de pagamento, seu consumidor simplesmente vai se dirigir à empresa concorrente que sabe o que é o Pix.

A boa notícia é que o cadastro é extremamente simples. A primeira etapa começou essa semana, no dia 05 de outubro, com o pré-cadastro dos interessados. Basta entrar em contato com o banco ou fintech onde possui conta ativa e registrar uma chave Pix, código que vinculará seu número de telefone, e-mail ou CNPJ àquela conta.

Em novembro, quando o sistema começar a operar, será necessário integrar o Pix aos seus métodos de pagamento, direto na plataforma do site.

Depois de saber o que é o Pix, já dá para cravar que o sistema é uma novidade que vai impactar não só suas vendas, mas também a experiência de compra na sua loja. Enquanto novembro não chega, veja 4 dicas de como fazer a sua página mais eficiente e agradável para seus clientes!


Comentários

Deixa seu Comentário