fbpx

Blog Openk

Provedora de soluções de vendas e gestão

  1. Home
  2. • blog

26/03/2021
Comentários

Imagem futurista de vários símbolos de armazenamento na nuvem conectados entre si.

Um dos maiores paradoxos das vendas online é a relação da logística no e-commerce: todo mundo quer vender muito, mas nem todos tem uma estrutura preparada para atender tantos pedidos. E sem conseguir entregar tudo em tempo hábil, acabam perdendo clientes.

Em 2016 os custos com logística, incluindo transporte, estoque, armazenagem e serviços administrativos já representavam 12% de todo o PIB brasileiro (Relatório da Confederação Nacional de Transportes). Com o “boom” do e-commerce em 2020 e continuando em 2021, esse percentual é ainda maior.

Se você também quer vencer esses dois grandes desafios que são a redução de custos e a simplificação da operação, fique com a gente que vamos desvendar o segredo da logística no e-commerce neste texto:

Mas será que a logística é importante mesmo?

Homem utilizando terno em um galpão de distribuição. Ele está concentrado e com um tablet nas mãos.

Não só é importante, como é essencial! Na verdade, só o ato de você receber um pedido, fazer a separação e enviá-lo ao cliente já é uma ação logística no e-commerce. O que vai mudar é a forma como lida com ela: apenas fazer um envio ou torná-la um diferencial competitivo para a sua loja.

Vamos as notícias e aos números:

Esses não são números soltos. O que queremos te mostrar é que a forma como você lida com a logística no e-commerce vai influenciar diretamente na rotina do seu negócio e também na experiência do cliente.

Mas como ter uma operação bem organizada a ponto de fazer você diminuir prazos, custos e melhorar a experiência do cliente? Parece que chegou a hora de revelarmos:

O grande segredo da logística no e-commerce é a digitalização!

Em um centro de distribuição, um homem que parece ser o dono da empresa mostrando algo para seu funcionário em um notebook.

Fazer suspense não é muito do nosso feitio, então tratamos logo de revelar o nosso segredo da logística no e-commerce.

O que nós percebemos é que muitas empresas, inclusive as grandes, estão evoluindo bastante em várias frentes do e-commerce. Começam tornando seus sites mais responsivos, acompanham as tendências de pagamento online – muitas delas já até utilizam o PIX, investem em marketing e, inclusive, se adequam à LGPD.

Ou seja, fazem de tudo, mas no que diz respeito à logística no e-commerce, ainda trabalham como 10 ou 20 anos atrás. Hoje os tempos são outros e a pandemia veio para colocar à prova a capacidade e qualidade dos serviços de entrega.

Não estamos dizendo para você abandonar todo seu cronograma de investimentos e comprar robôs de entrega como os da Amazon. O ponto é que existem algumas medidas que podem ser tomadas para o seu negócio entrar nesse processo de digitalização logística no e-commerce.

Veja os três passos…

Primeiro: armazenagem de dados

Imagem futurista de vários símbolos de armazenamento na nuvem conectados entre si.

Você se surpreenderia com o número de e-commerces que ainda fazem o controle de estoque contando produtos um a um e registrando em planilhas de papel. Outras já evoluíram um pouco e adotaram planilhas de Excel.

Mas mesmo assim, esse método não é nem um pouco eficiente porque deixa todo o processo muito mais trabalhoso, caro e bem menos eficiente. Quantas vezes compramos algo e, depois de dois ou três dias recebemos um e-mail que o produto não tinha em estoque? Um dos motivos mais comuns para isso acontecer é um sistema que ainda não é informatizado.

A melhor solução para a logística no e-commerce nesse sentido é contar com armazenamento em nuvem de informações. Olha só como ela pode te ajudar:

“Vamos supor que você tem uma ótica online, mas para diminuir os custos, compra as armações separadas das lentes e monta na empresa mesmo. Dado dia, foi preciso viajar à negócios e lá recebeu uma grande oferta para fornecer 500 unidades à um marketplace especializado no segmento.

Como o registro de entrada e saída de estoque estava em um computador da empresa, você resolveu “contar com a sorte” e fechar logo o acordo sem nem consultar o estoque das peças ou disponibilidade do pessoal para montagem e envio.

Resultado: seus funcionários estão trabalhando em rodízio por conta da crise sanitária e nem peças suficientes você tinha. Inevitavelmente foi preciso desfazer o acordo, você não lucrou com as vendas esperadas e ainda manchou a sua reputação.”

Se estivesse trabalhando a logística no e-commerce com armazenamento em nuvem, era só entrar no sistema e ter acesso ao inventário de produtos em tempo real. Com isso você poderia até negociar um prazo maior para entregas ou combinar menos unidades.

Segundo: planejamento de estoque

Mesa branca com notebook, planilhas, notebook e as mãos de uma pessoa apoiadas fazendo cálculos em uma calculadora.

Informatizar o estoque e ter o número exato de produtos vendidos e disponíveis em qualquer momento é ótimo, principalmente nesse momento onde estamos trabalhando mais em casa. Concorda?

Depois do passo um efetivado, fica mais fácil executar a segunda etapa para ter uma logística no e-commerce mais assertiva: saber quantos produtos podem ser vendidos futuramente. Para isso, um cálculo bem simples de previsão de vendas vai te ajudar.

Veja o passo a passo de como fazer este cálculo:

1. Colete as unidades vendidas dos meses anteriores:

(Junho) 872
(Julho) 1020
(Agosto) 593
(Setembro) 620
(Outubro) 797
(Novembro) ?

2. Faça uma média ponderada: a média ponderada permite estabelecer pesos para os meses que melhor representam as vendas do seu e-commerce. Seguindo o exemplo da ótica, é natural que as vendas de óculos de sol sejam maiores em julho por conta das férias. Já em agosto e setembro o inverno dá uma baixa. Nesse caso, junho e outubro podem ser os meses mais fiéis à sua realidade.

(Junho) peso 45%
(Julho) peso 20%
(Agosto) peso 20%
(Setembro) peso 30%
(Outubro) peso 45%

(Jan * Peso) + (Fev * Peso) + (Mar * Peso) + (Abr * Peso) + (Mai * Peso) =
Somatória das porcentagens

(392,4) + (204) + (118,6) + (186) + (358,65) =
1,6

787,3 = aproximadamente 788 unidades

Isso quer dizer que você deve ter, pelo menos, 788 unidades no seu estoque para não se surpreender com baixa no estoque.

Mas claro, considere sempre as datas específicas que incentivam o consumo. No mês seguinte ao exemplo já é a Black Friday, então você deve ficar de olho nas pesquisas. Se elas informaram que “a Black Friday 2021 prevê um aumento de 25%”, você multiplica esse número por 0,25.

#DicaOpenK: para te ajudar no planejamento deste ano, nós fizemos um cronograma de datas comemorativas 2021 com dicas de ações para todas elas. Dê uma conferida.

Tudo leva ao terceiro passo: integração

Imagem de uma mão prestes a tocar vetores futuristas que simbolizam um sistema ERP.

Você já tem os seus dados digitalizados e sabe quanto precisa ter em estoque. O próximo passo para ter uma logística de e-commerce digitalizada é a integração de todos os setores do seu e-commerce para que eles funcionem em sinergia.

Voltando ao exemplo da ótica:

“O marketplace especializado voltou a entrar em contato com você e, descobrindo que agora o seu e-commerce já possui uma certa organização, propôs que a sua empresa trabalhasse em uma parceria de seller. Só que para isso era preciso atender a duas políticas de entrega: frete fixo de R$ 10,00 e entregas em até 5 dias para qualquer lugar do Brasil.”

E aí, como garantir essas condições? Integrando toda a sua operação logística no e-commerce com um sistema ERP – traduzindo seria “Sistema Integrado de Gestão Empresarial”.

Ele é capaz de acompanhar cada passo da sua operação. Veja só:

  • Controle do seu negócio: assim que o produto chega e é catalogado, você tem acesso a todas as suas informações e em que estágio da logística no e-commerce ela está (produção, embalagem, envio..), sendo possível mensurar a produtividade dos colaboradores em cada um deles;
  • Auxilia no controle financeiro: se você comprou parcelado, a própria ferramenta faz a relação das suas contas em débito e a cada venda já computa o seu faturamento, com as contas a receber;
  • Controle de frotas: possui módulos de cotação com as tabelas de preços de várias transportadoras, permitindo escolher sempre a mais viável. Também é possível identificar a rota que o produto está fazendo, identificando possíveis erros que estão ocasionando em atraso na logística no seu e-commerce.

Com tudo o que você viu neste texto, está pronto para levar a sua logística no e-commerce para 2021?

Durante todo o exemplo da ótica, citamos como engrenagem um marketplace, mas saiba que ele pode ser facilmente substituído por cada um dos clientes na sua loja online. Todos eles querem uma entrega rápida, segura e clara, com todas as informações de pedido à sua disposição.

Agora só falta você ter um e-commerce que esteja alinhado com a logística no e-commerce dos dias de hoje. E a plataforma que possibilita isso está aqui. A OpenK está preparada para atender toda a sua operação, por mais complexa que ela seja.

Temos integração com as principais ferramentas de ERP do mercado, como a Razem Gestão, Peggasus, Bling, Cronos, Tiny, dentre outros. Somos capazes de atender complexas realidades logísticas no e-commerce, como por exemplo o caso de alguns clientes nossos que possuem vários centros de distribuição. No instante em que o pedido é feito o site faz a leitura de qual centro é mais viável para o produto ser expedido.

Esse é o verdadeiro segredo da logística no e-commerce. Essa é a OpenK. E o seu e-commerce pronto para as realidades de hoje e do futuro está com a gente. Conheça mais sobre o nosso trabalho em: openk.com.br.


Comentários

Deixa seu Comentário