fbpx

Blog Openk

Provedora de soluções de vendas e gestão

  1. Home
  2. • blog

18/03/2021
Comentários

• Envie anúncios aos assinantes de sua newsletter para mantê-los atualizados sobre promoções e lançamentos. • Crie anúncios que promovam seu serviço de atendimento ao cliente para aqueles que visitaram a página de perguntas frequentes ou como comprar. • Evite expor sua marca de maneira excessiva por meio do frequency capping. Essa funcionalidade, que está disponível na grande maioria das ferramentas de marketing, permite limitar a quantidade de vezes que um anúncio é mostrado a um único usuário por dia ou por campanha.

Todo o trabalho de marketing nos e-commerces é pautado no funil de vendas: você atrai os clientes em potencial, mostra o seu produto, o convence de que tem a melhor solução e fecha a venda.

Esse é o fluxo esperado, mas pode acontecer que, por algum motivo, ele não compre a sua ideia de cara e acabe saindo sem levar nada. Se isso acontecer, não se desespere: 92% dos clientes de e-commerce não compram na primeira visita ao site.

É aí que entra o remarketing! Uma estratégia perfeita para essa situação: você foca parte dos seus esforços em quem já está no meio do funil e que tem mais chances de comprar da sua loja.

Viu como é interessante? Então nos acompanhe que vamos te mostrar como tudo funciona e o que fazer para aumentar o seu ticket médio.

Mas antes, o que é remarketing?

Em linhas gerais, é uma estratégia para relembrar seu cliente de algum produto. Você basicamente incentiva a compra naqueles clientes que já demonstraram algum interesse durante o período de visita no seu site.

Funciona assim:

O cliente K olhou uma peça específica no seu site, colocou no carrinho mas não fechou a compra. É que ele achou melhor pensar um pouco mais sobre o investimento. Se passaram dois dias, uma semana… Depois de todo esse tempo, ele provavelmente nem se lembra mais que um dia se interessou em comprar no seu e-commerce.

E para resolver esse problema o remarketing é a melhor saída. Seu site trata de enviar automaticamente um e-mail para lembrá-lo sobre o produto, atraindo a atenção para as oportunidades.

Caso você queira melhorar ainda mais os resultados, um cupom de desconto ou outra vantagem são super bem-vindas para dar uma forcinha extra na venda. Viu só? É assim que o remarketing converte uma venda que estaria perdida. E o melhor: aumentando o seu ticket médio!

Imagem de um e-mail de remarketing oferecendo frete grátis para o cliente fechar o pedido o quanto antes.

Mas o remarketing também pode funcionar em outras situações usando o e-mail como ponto de partida. Veja só:

  • Quando o cliente nem chegou a colocar no carrinho: “Vi que você visitou esse produto, o que acha de fechar a compra agora?”;
  • Abordagem de recomendação: “Temos alguns produtos que são a sua cara, olha só…”;
  • Promoção: “O produto que você já se interessou entrou em liquidação”.

Isso vale mesmo para aqueles clientes que não se cadastraram na newsletter da loja. A maioria dos sites utilizam cookies para extrair essa informação e enviar o e-mail de remarketing depois.

#DicaOpenK: mas utilizar cookies para enviar e-mails é legal? Desde que você tenha autorização do usuário para isso, sim! Entenda melhor a discussão no nosso resumo LGPD: checklist completo para saber se o seu negócio está dentro da lei.

Atenção: não confunda com retargeting!

É bem comum que gestores de e-commerces confundam estratégias de remarketing e retargeting. Inclusive, se você fizer uma pesquisa bem rápida no Google vai encontrar vários textos, nenhum deles conclusivos sobre o assunto.

Por isso resolvemos deixar bem claro a diferença entre os dois:

  • O remarketing engloba, necessariamente, o uso de e-mails que são enviados à clientes que já tiverem interesse na sua marca, ou por um produto específico oferecido. De acordo com o E-commerce Trends 2017, o envio desses e-mails multiplica visitas ao site 11,3 vezes e o número de clientes 3,1 vezes.
  • Agora, o retargeting utiliza anúncios pagos para mostrar produtos que o seu cliente já se interessou em páginas de pesquisa, mídias sociais e até sites parceiros. É aquela “mágica” que acontece quando você pesquisa um produto e, depois de fechar a página, aparecem banners por toda a parte – são feitos por meio do Google Ads e Facebook Ads.

Essa confusão se deu porque nos anúncios do Google a função de “retargeting” é chamada de “remarketing” daí você já viu… o Google falou e virou regra. Mas, da nossa perspectiva, não é bem assim e vamos abordar o remarketing do jeito certo: apenas com e-mail.

Mas, ei, não existe isso de competição em qual é melhor ou pior. Ambas são ótimas estratégias e, inclusive, funcionam melhor em conjunto, combinado?

Como fazer um e-mail de remarketing com o Google Ads

Foto mostra parte da tela de um macbook acessando a página inicial de uma conta do gmail.

Até aqui você já viu como funciona o remarketing de verdade – com uso do e-mail – e o poder que ele tem de fazer que os clientes em potencial voltem a visitar aquele produto esquecido. Agora chegou a hora de colocar em prática e criar a sua campanha.

Hoje há algumas plataformas de disparo de e-mail que fazem remarketing como a All iN, por exemplo. Mas como cada uma delas tem o seu sistema próprio de configuração ficaria inviável mostrarmos como fazer em cada uma delas.

Por isso optamos por te mostrar como fazer pelo Google Ads, que é um meio mais “universal” e provavelmente você já tem acesso para fazer anúncios na página de buscas. Se não tiver é só clicar aqui e criar a sua conta.

Combinado? Então vamos nessa! O e-mail de remarketing é feito em duas etapas:

1º: criar uma biblioteca personalizada

O primeiro passo é criar uma “lista de público” para utilizar na campanha de remarketing. Nessa lista ficam as pessoas para quem você vai fazer o disparo – ela pode ser segmentada por idade, gênero, região e também por pessoas que visitaram o seu site. Para fazer isso, é preciso:

  • Clicar no símbolo de ferramentas no cabeçalho da dashboard. Depois, uma guia suspensa se abrirá;
  • Na aba “biblioteca compartilhada” clique em “Gerenciador de público-alvo”;

Captura de tela do menu do Google Ads com a opção “gerenciador de público-alvo” selecionada em vermelho.

  • Depois de aberto, você verá um símbolo de “+” na cor azul em grande destaque. Clique e escolha a opção “visitantes do site”;
  • Agora você deve criar as regras para o seu remarketing. Podem ser os visitantes de uma página, os que visitaram duas páginas específicas ou aqueles que visitaram o seu site em um intervalo de dias determinados, por exemplo;

Captura de tela do Google Ads na página em que o usuário estipula regras para um novo grupo de segmentação de clientes.

  • Feito isso, é só clicar em “criar público-alvo” e pronto: a sua segmentação está feita. Agora vamos para a próxima parte.

2º Fazer um anúncio

Tudo o que você tem que fazer agora para criar o seu e-mail de remarketing é voltar até a página inicial do Ads e criar o seu anúncio. É bem simples, seguindo a mesma forma das pesquisas do Google mesmo.

  • Você vai encontrar um sinal de “mais” (+) azul bem chamativo. Basta clicar para iniciar uma nova campanha.

Captura de tela do Google Ads com o botão de + selecionado, mostrando criação de uma nova campanha.

  • Surgirão algumas opções de metas, mas não é obrigatório. Você pode selecionar “Criar uma campanha sem meta”.
  • Depois, é a hora de estabelecer a forma como o e-mail de remarketing vai aparecer para seu cliente. Entre todas, as que têm compatibilidade com e-mail são “Display” ou “Discovery”.

Captura de tela do Google Ads mostrando as opções de campanha. “Rede de Display” e "Discovery" estão sinalizadas em vermelho.

A próxima etapa diz respeito ao subtipo da campanha. É justamente a hora de selecionar a opção “Campanha do Gmail” para seguir como um anúncio de remarketing.

Captura de tela do Google Ads mostrando os subtipos de campanha: campanha padrão de display e campanha do Gmail são as opções.

  • A última etapa que vamos mostrar aqui é a página de segmentação e orçamentos e, como é algo que diz respeito à sua estratégia, não vamos indicar. A única observação importante é que na seção “Públicos-alvo” você deve procurar a biblioteca personalizada que criou no passo anterior.
  • E pronto! A sua campanha de remarketing está feita! O próximo passo é criar o anúncio, mas aí já é exatamente como fazer qualquer outro – considerando as características de um e-mail.

Anote aí: dicas sobre o remarketing

Se você já nos conhece, sabe que pra gente é bem difícil entregar apenas o básico em um texto, por isso explicamos tim tim por tim tim o papel do remarketing e também como criar um anúncio.

Mas não poderíamos deixar de fora as dicas de como utilizar esse artifício para aumentar o seu ticket médio. Olha só:

  • Analise os relatórios de carrinhos abandonados e de outras páginas visitadas para criar ações direcionadas à recuperação de clientes, baseadas nesses indicadores;
  • Ao entender a realidade e o perfil do cliente que visitou e saiu da loja sem comprar, crie e-mails de remarketing conforme o perfil deste consumidor, apresentando os mesmos produtos vistos, com condições atraentes;

#DicaOpenK: ainda não sabe qual o perfil do consumidor do seu e-commerce? Descubra aqui.

• Crie listas distintas de remarketing: uma para aqueles que adicionaram um produto ao carrinho de compras, mas que não a finalizaram. Outra para quem só visitou a página do produto e uma terceira para quem apenas entrou na home do seu e-commerce, por exemplo;

• Incentive a recompra criando listas para quem já comprou no site. Desta maneira, é possível montar ofertas de fidelização específicas para os consumidores que já mostraram interesse nos produtos.

#DicaOpenK: ter clientes recorrentes é a melhor maneira de poder contar com uma demanda fixa, fica mais fácil sabe quando aquele cliente vai voltar a comprar de você. Veja como trabalhar bem a recompra no e-commerce.

• Envie anúncios aos assinantes de sua newsletter para mantê-los atualizados sobre promoções e lançamentos.

• Crie anúncios que promovam seu serviço de atendimento ao cliente para aqueles que visitaram a página de perguntas frequentes ou como comprar.

• Evite expor sua marca de maneira excessiva por meio do frequency capping. Essa funcionalidade, que está disponível na grande maioria das ferramentas de marketing, permite limitar a quantidade de vezes que um anúncio é mostrado a um único usuário por dia ou por campanha.

• Envie anúncios aos assinantes de sua newsletter para mantê-los atualizados sobre promoções e lançamentos. • Crie anúncios que promovam seu serviço de atendimento ao cliente para aqueles que visitaram a página de perguntas frequentes ou como comprar. • Evite expor sua marca de maneira excessiva por meio do frequency capping. Essa funcionalidade, que está disponível na grande maioria das ferramentas de marketing, permite limitar a quantidade de vezes que um anúncio é mostrado a um único usuário por dia ou por campanha.

Com tudo o que compartilhamos hoje, você já tem todo o conhecimento necessário para aproveitar ao máximo as vantagens:

  • Aumento das chances de fechar uma venda: além de relembrar o seu cliente de fechar uma compra, você também estreita os laços com eles: 51% dos participantes de uma pesquisa da AgilOne gostam de e-mails personalizados e tratamento VIP. Tem noção do poder de um e-mail que, além de pessoal, mostra a importância da experiência no site?
  • Reconhecimento de marca: sinceramente, muitas das pessoas que visitaram o seu site também acessaram outros procurando pelo mesmo produto e pode ser que uma ou outra se percam na procura. Quando você envia um e-mail de remarketing com certeza ele vai se lembrar da sua loja;
  • Economia: o custo de qualquer e-mail que você enviar será o mesmo. Concorda aqueles que utilizam o remarketing têm muito mais chances de serem abertos e convertidos, fazendo com que o seu dinheiro seja melhor empregado?

Esgotamos tudo sobre o assunto? Bom, sobre o remarketing sim, mas o sucesso da sua estratégia vai depender também de como você vai elaborar o conteúdo deste e-mail. Quanto a isso, você se garante?

É sempre bom garantir, não é? Então vamos continuar essa conversa em um outro texto: e-mail marketing no e-commerce e o aumento das vendas. Qual a relação?

Te esperamos lá!


Comentários

Deixa seu Comentário