fbpx

Blog Openk

Provedora de soluções de vendas e gestão

  1. Home
  2. • blog

15/01/2021
Comentários

homem segurando um notebook com expressão animada e dedo levantado para mostrar a sua ideia.

No ano passado, 78% do faturamento online veio de pessoas que compraram em marketplaces. É o que apontou a 42ª edição do Webshoppers, pesquisa realizada pela Ebit | Nielsen, a maior autoridade hoje sobre e-commerces.

Mas o que esse movimento quer dizer? Os marketplaces serão mesmo o futuro do e-commerce? Não estar em um é sinônimo de fracasso no seu negócio? Todo tipo de produto deve ser vendido em marketplaces?

Em alguns casos sim, em outros, nem tanto. São as nuances que definem o sucesso. Essas são algumas das perguntas que vamos discutir neste texto. Vamos?

Os marketplaces são os Shoppings Centers da internet

Mulher em frente a uma loja de roupas segurando um tablet e cartão de crédito.

Nas vendas presenciais, um shopping é onde você encontra o maior número de lojas e conta com a segurança e credibilidade que o espaço oferece.

Ao comprar online, o marketplace funciona mais ou menos da mesma forma, mas com a segurança sendo levada ainda mais a sério. Isso porque, sem o contato presencial com o produto, fica a incerteza se a loja realmente existe, se o que ela vende é verdadeiro ou se teremos algum problema em caso de troca ou devolução.

São esses dois pilares – o da praticidade e o da segurança – que fizeram os marketplaces tão populares. 95% dos brasileiros revelaram, em pesquisa, que já fizeram pelo menos uma compra em marketplaces em 2019, número esse que vem crescendo desde 2010.

Então, o que antes era feito em várias lojas pela internet afora, hoje está se concentrando mais e mais nos marketplaces. Agora resta saber como vamos comprar online daqui pra frente.

Dica: Quer saber ainda mais sobre os Marketplaces? Leia o nosso texto bem curtinho e didático para esclarecer o que é um Marketplace e quais seus benefícios.

Os Marketplaces são o futuro do e-commerce?

Notebook em um fundo vermelho rodeado de produtos como camiseta, carteira e avião, simbolizando a variedade das compras em marketplaces.

Ao que tudo indica – e também o que nós aqui da Openk acreditamos – comprar online vai ser sinônimo de comprar em Marketplaces. Essa é a realidade que o mercado está impondo, mas isso não necessariamente é algo ruim.

Achamos isso, porque qualquer um de nós, donos de pequenos e-commerces, somos um pequeno grão perto de gigantes de qualquer segmento.

Pense conosco: você vende cosméticos naturais e quer expandir vendendo na internet. Se não fosse pelos marketplaces você teria que, sozinho, disputar com gigantes como O Boticário e Natura.

É isso que está acontecendo hoje com quase todo mundo que começa apenas com um e-commerce próprio. Muitas vezes, quem vai comprar online nem sabe que existem várias lojas menores do mesmo segmento, porque dificilmente elas irão rankear bem no Google.

Em suma: competir com marketplaces não é uma boa ideia. O interessante é vender junto com eles em uma estratégia integrada. Veja como no próximo tópico:

Então ninguém vai comprar online do seu site próprio?

Jovem empresária triste em frente a um notebook. Há várias caixas de produtos à sua volta que não foram vendidos.

Não é bem por aí. O que queremos dizer é que o cenário está apontando para uma dominação dos marketplaces e isso não há como negar. Mas tanto ele quanto a sua loja própria são igualmente importantes, cada um na sua estratégia.

Em um marketplace você tem essa facilidade dos seus produtos serem encontrados por quem vai comprar online. Então, não vai precisar investir tanto em publicidade, segurança, métodos de pagamento e algumas estratégias logísticas. A maioria dos marketplaces já fornece essas funcionalidades através de serviços próprios e benefícios dentro do pacote do lojista.

Mas se você tem um produto com algum diferencial, como no caso de estampas próprias e produtos ecologicamente corretos, ter site é muito recomendado para enfatizar essas características. Como nos marketplaces há muitos produtos e a ferramenta é mais engessada, o seu ponto forte pode se perder.

Dizemos mais: com o site próprio você vai poder fazer campanhas de relacionamento com e-mails ou atendimento pelo WhatsApp e ter a autonomia de criar um design com o visual e linguagem que conversam com o seu público. Só assim você vai aumentar o seu reconhecimento com quem compra online a sua marca.

Dica: viu como um site próprio também tem muito a acrescentar? Para levar mais clientes para ele, é fundamental um trabalho nas redes sociais. Leia o nosso texto sobre como redes sociais e o e-commerce são a combinação perfeita.

Na prática, o que você deve fazer?

homem segurando um notebook com expressão animada e dedo levantado para mostrar a sua ideia.

Já faz um tempo que não é mais o mercado quem dita as regras. Hoje, o poder está na mão dos seus clientes e, acredite, eles são vários, com vontades, motivações e critérios diferentes ao comprar online.

Se os consumidores são vários, por que os seus canais de venda também não podem ser? Chegamos à conclusão de que quem quer vender online hoje precisa, sim, vender nos marketplaces. Mas a melhor maneira de fazer isso é vendendo nos dois ao mesmo tempo – e-commerce próprio e marketplaces -, com uma plataforma que permita essa integração

Aqui na Openk você tem opções que permitem essa integração. É possível acompanhar vendas nos dois canais ao mesmo tempo, e adicionar mais funcionalidades ao seu site conforme oportunidades de negócio vão surgindo.

Comprar de qualquer lugar, desde que seja de você. Isso é o que possibilitamos e o que você deve procurar.

Agora só falta escolher como vender produtos em um marketplace. Ou melhor, faltava. Clique aqui e veja o passo a passo que preparamos para você.


Comentários

Deixa seu Comentário